Apagando de mim qualquer tom mais grave…

E quantas vezes eu desejei ser normal ao invés de ter uma diferença, milhares de chances eu desperdicei por apenas achar que um dia você iria me olhar com outros olhos. Mas o difícil mesmo é dizer ao coração que chegou à hora de parar de gostar, enfim, de amar. Me coloquei diante do espelho e passei à ter turbilhões de pensamentos sobre o que realmente eu poderia ser. Existe algo dentro de mim que é a vontade de entrar em um mundo que fosse feito de soluções. O meu coração cheio de sentimentos é despedaçado ao seguir com as luzes apagadas, as lágrimas que caem dos meus olhos não tem utilidades. Meu desespero não é suficiente para fugir da guerra que meus sentimentos criam. Minha vulnerabilidade é perspicaz ao meu ser, meus conceitos são entardecidos junto ao tempo e a prioridade dentro de mim atualmente é viver mesmo com os piores sofrimentos. Sorrisos são tomados por lágrimas e por sentimentos sem nexo algum, minhas lágrimas são tomadas pelos ideais de riscos, meus ideais de riscos são tomados pelas verdades e às verdades sempre serão verdades. Apagarei de dentro de mim qualquer tom mais grave que seja capaz de existir. Criarei ilusões capazes de me satisfazer em qualquer aspecto, deixarei de lado incômodos meus e passarei à indagar — sem pensar — palavras pesadas e que vão ferir aqueles que criam turbações em meu eu. Irei desapegar do necessário e utilizarei o qualquer. Esperarei, junto ao tempo, por algo que seja capaz de decifrar meus distúrbios Aleatórios.

Post Author
Murilo Ferreira
Seminarista em Teologia que traz consigo uma fixação por aconselhamento pessoal com ênfase na parte sentimental. Suas paixões são divididas em duas partes: As concretas — Deus e Família, e às abstratas — Viagens, Praias e tudo aquilo que envolve o auxílio ao próximo. Criador de uma FanPage denominada de Eterno Amor Meu na rede social Facebook.

DEIXE SEU RECADO USANDO UMA DAS REDES SOCIAIS

Ancorada no Instagram

Junte-se a nós no Instagram