Até logo calmaria sentimental


Chega e me preenche de algo novo
Nem de longe parecido com o que já vivemos
É uma nova versão

Essa versão livre.

Substitui tudo que eu tinha em mente
e reajusta os móveis

Sacode a calmaria de minha casa,
de minha mente e corpo

Sacode como faz tempo não se sente,
não se vive.

Balança com esse chão,
deixa o orgulho no portão,
bagunça essa residência chamada coração.

Da tapa na cara dessa calmaria,
puxa cabelo e me arrepia,
eu quero mesmo ver tudo mexer.

Uma adrenalina
Uma cafungada
Uma apertada de lá, daqui, de acolá

Mexe com esses sentidos
Perdidos
Meio que cansados já de esperar.

Post Author
Catherine Aviles
Estudante de publicidade, chocólatra e estouradinha. Escreve como válvula de escape do dia a dia (porque comer engorda!). Ama animais e acredita no amor "pra vida toda" (Tipo aqueles da Disney). Romântica enrustida, na vida real parece ser um molequinho mas tem um coração bonzinho. Suas paixões: Comida, viagens, comida, pessoas com conteúdo, comida, homens de sorriso lindo <3 (ah ela também gosta muito de falar, não sabe ser sintática nas coisas e continua escrevendo por que quem fala muito, escreve muito, tipo uma tendência, sabe?) GOSTA DE BOSSA NOVA E MPB, também dá umas arrochadas de vez em quando.

DEIXE SEU RECADO USANDO UMA DAS REDES SOCIAIS

Ancorada no Instagram

Junte-se a nós no Instagram