Você é tudo que eu não quero

(Sobre relacionamentos abusivos)

Brindo com você, mas te olho meio estranho. Não sinto aquela vontade de verdade de perder meu tempo ao seu lado. Deito ao seu lado na cama mas na verdade nem sei realmente o porquê de me deixar tocar por você. Olho para seu semblante e dou um beijo, com sabor de nada. Sorrio.

Ainda tento me lembrar por que estou aqui, por que não parei um táxi e fui embora, por que não disse simplesmente “não quero mais ” e fico esperando alguém me tirar daqui. Fico aguardando alguém perceber que na verdade não sou eu que estou aqui. No meio do caminho, me perdi. Fiquei lá atrás nos primeiros meses onde eu realmente podia ser eu.

Mas eu já não sorrio, posso parecer muito oferecida, não quero brigar com você. Mas eu também já não posso amar ninguém, além de você e fui convencida, você me convenceu, que meu mundo era você.  Já não questiono, também não sei ao certo, porque deixei de usar meus shorts curtos, pra não brigar com você. Acho que me perdi no seu amor próprio e esqueci o meu lá no inicio, lá quando eu podia ser eu mesma, lá quando eu ainda lembrava de mim.

Então eu sumi de mim pra te agradar. Eu morri dez vezes pra me transformar em algo que nunca fui. Porque quando amamos, mudamos, então mudei. Já não era eu. Era o que sobrava. Então me perdi de novo, já não sabia ao menos onde eu estava. Me perdia naquele azul do seu olhar, morria afogada ainda em vida. Morria mas sorria.

Que privilégio estar com você! Por que eu não era suficiente boa para estar ao seu lado. Eu deveria ser mais agradecida. Uma mulher como eu tinha sorte de te ter, pelo menos você me olhar e me amar. Era quase um favor. Eu pensava que não ia conseguir mais nada sem você, sem você não já não seria capaz, eu era tão inútil, como ia conseguir sozinha? Como, me diga? Se só com você eu conseguiria?

Paguei a conta. Um ano e seis meses, muitos problemas, baixo estima e dívidas. No seu nome, em nome do amor. Ansiolíticos, precisava me achar. Onde eu estava? Crises de pânico, medo.

Fiquei tanto tempo perdida de mim, foi tao difícil me encontrar de novo mas aprendi que nada nem ninguém me rouba mais de mim. Se gostar, vai ter que ser assim, sorrindo e vivendo minha vida do jeito que ela é.

Post Author
Catherine Aviles
Estudante de publicidade, chocólatra e estouradinha. Escreve como válvula de escape do dia a dia (porque comer engorda!). Ama animais e acredita no amor "pra vida toda" (Tipo aqueles da Disney). Romântica enrustida, na vida real parece ser um molequinho mas tem um coração bonzinho. Suas paixões: Comida, viagens, comida, pessoas com conteúdo, comida, homens de sorriso lindo <3 (ah ela também gosta muito de falar, não sabe ser sintática nas coisas e continua escrevendo por que quem fala muito, escreve muito, tipo uma tendência, sabe?) GOSTA DE BOSSA NOVA E MPB, também dá umas arrochadas de vez em quando.

DEIXE SEU RECADO USANDO UMA DAS REDES SOCIAIS

Ancorada no Instagram

Junte-se a nós no Instagram